ESPÉCIE

Herpetofauna – Anfíbios

Os Anfíbios abrangem uma grande diversidade de formas e de modos de vida imediatamente associada aos desafios colocados pela sua “vida dupla” (amphi, duplo; bios, vida) quer intrinsecamente ligada aos meios ambientes dualciaquícolas quer aos meios terrestres vizinhos.
Os Anfíbios são vertebrados de pele nua e húmida, provenientes de antepassados que foram colonizado as águas quentes e pobres em oxigénio dos pântanos primordiais e que pouco a pouco foram invadindo o meio terrestres aproveitando uma fonte de alimentação então muito disponível; a multitude de Insetos e outros invertebrados terrestres.
Atualmente, existem apenas três grandes grupos de Anfíbios: Caudata (possuem cauda), os Anura (não possuem cauda em adultos) e os Gymnophiona (anfíbios vermiformes sem patas que ocorrem apenas em regiões tropicais).
Em Portugal ocorrem 8 espécies de anfíbios pertencentes à ordem  Caudata – Salamandras e Tritões – e 12 espécies relativas à ordem Anura – Sapos e Rãs – distribuídos de Norte a Sul do país e ocupando uma grande variedade de habitats.
Os Anfíbios ibéricos são, na sua maioria, animais de hábitos crepusculares e noturnos e que, durante o dia, procuram refúgio em locais húmidos com vegetação ou até debaixo de água.
Apesar da maioria das espécies que ocorrem em Portugal não se encontrarem ameaçadas, o declínio global dos Anfíbios é uma realidade e as causas diversas. As alterações ao habitat natural, as alterações climáticas ou doenças como a quitridiose, têm vindo a provocar mortalidades massivas com uma dispersão cada vez mais global.

Estatuto de Conservação
NE
Não Avaliado
DD
Dados Insuficientes
LC
Pouco Preocupante
NT
Quase Ameaçado
VU
Vulnerável
EN
Em Perigo
CR
Criticamente em Perigo
EW
Extinto na Natureza
EX
Extinto
1654609012985